Versículo do Dia

domingo, fevereiro 12, 2012

Meu cunhado me enviou um email bem fofo esta manhã e ja vi em outros lugares na net também, resolvi postar aqui pois acredito nesta mensagem.
Pois como diria meu marido: " O maior segredo do Evangelho, é se colocar no lugar do outro", e as vezes tudo o que precisamos e de um sincero elogio.


A Importância do Elogio

Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde nota-se que os membros das famílias brasileiras estão cada vez mais frios, não existe mais carinho, não valorizam mais as qualidades, só se ouve críticas. As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se desgastam valorizando os defeitos dos outros. Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.

A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda.

Não vemos mais homens elogiando suas mulheres, ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando, amigos, etc.

Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro, e que por conseqüência são pessoas que tem a obrigação de cuidar do corpo, do rosto.

Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias, e a falta de diálogo em seus lares e o excesso de orgulho impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa carência para dentro dos consultórios, acabam com seus casamentos, acabam procurando em outras pessoas o que não conseguem dentro de casa.

Vamos começar a valorizar nossas famílias, amigos, nossos subordinados. Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras, o comportamento de nossos filhos. Vamos observar o que as pessoas gostam.

O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser reconhecidos, o bom amigo, a boa dona de casa, a mulher que se cuida, o homem que se cuida, enfim vivemos numa sociedade em que um precisa do outro, é impossível um homem viver sozinho, e os elogios são a motivação na vida de qualquer pessoa.

Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando de alguma forma?
Pense nisso!
Pratique! 
Não custa nada, e sempre pode salvar o dia de alguém!
Arthur Nogueira (Psicólogo)

sábado, fevereiro 11, 2012

Mensagem...
"ARREPENDEI-VOS, pois o reino de Deus é chegado a vós."

“A geração que negligencia seu passado (seus erros e acertos) é uma geração sem futuro.”

Eu estive pensando nessa frase, na verdade, um conceito, uma verdade. É mais do que uma filosofia, um pensamento de algum mero mortal, mas é bíblico, um desejo de Deus para nós, não negligencie seu passado, mas aprenda com os erros.

Estive me recordando de todas as vezes que Deus, seja no novo ou no velho testamento, quantas e quantas vezes nos orienta a isso, ou seja, o conceito básico da bíblia é esse, a mensagem principal é essa, ARREPENDEI-VOS.

Ontem eu estava em minha casa, em meio ao caos de meus pensamentos somado a minha alienação quando de repente bate em meu portão um homem.Era parte da tarde, um sol forte que em poucos minutos de exposição a ele, para uma pessoa que basicamente vive em ambientes fechados é quase que, como li em um status de uma amiga no facebook, uma amostra grátis do inferno.
Mas lá estava o homem. Logo de cara percebi que não era do bairro. Simpático e simples, não pediu nada, apenas se apresentou. Disse que estava evangelizando e perguntou se eu poderia ouvir algo. Eu poderia ter “poupado” ele disso e dizer que já sou convertido, mas resolvi deixá-lo anunciar as Boas Novas. Queria ouvir o que ele tinha a dizer.Na sua simplicidade (e esses herdarão os Céus segundo Jesus Cristo), me entregou um pequeno folheto e sucinto, disse que era minha consciência para com Deus que era importante. Arrependei-vos, disse ele (como João Batista, mas menos dramático, tirando a parte “bando de víboras”), Jesus Cristo é a Salvação pra nós e para todos os que estão ao meu redor e que Jesus é a Salvação através de mim (entendi o recado, assim como recebi, tenho que anunciar também).
Amém e amém, disse a ele, dizendo que já era convertido. Ele olhou para o céu. Pensei que iria falar do sol quente e também reclamar do extremo calor, mas não, ele agradeceu pelo sol, agradeceu pela minha vida, e agradeceu a Deus pela oportunidade de estar entregando a Palavra de Deus para mais essa família/casa.
Na sua simplicidade e humildade, fui impactado, apenas disse “Amém... que Deus o acompanhe...”. Entrei em casa e pensei: “Como Deus não se agradaria de uma pessoa como esta? Enquanto eu estou aqui envolto do meu conforto e tecnologia, alienado em meus pensamentos, controle das coisas e expectativas futuras, somado ao consumismo e o capitalismo (e o ventilador do meu quarto), esse homem deixou para trás o conforto, a vergonha e seus problemas para tão somente bater de porta em porta e anunciar o evangelho de Cristo, a saber, o arrependimento dos pecados e a Salvação, em pleno sol das 14hs da tarde de um dia muito, mas muito quente.”. A única coisa que pude fazer foi dizer: “maldito modo de vida que levo” e orei rápido por esse homem: “Deus, acompanhe esse homem e o abençoe.”.


Ter esse tipo de experiência me baqueou, confesso, mas isso não significa que houve um arrependimento.

Há algum tempo atrás, li um maravilhoso livro chamado “Em seus passos, o que faria Jesus”. Dentre outras coisas, fala que os servos de Deus em sua grande maioria não estão dispostos a se esforçarem para serem o que Jesus é ou o que a bíblia nos ensina a sermos e a guardarmos nossa salvação (quando digo SER é agir como).
Enquanto o lia, cheguei a uma grande, importante e terrível conclusão que até hoje, desde de minha conversão, eu não segui a Cristo como a bíblia me ensina e ao ver a complexidade de ser um servo de Cristo, percebi também que até o momento eu não o servi (e nem muito menos ao meu próximo) e que muito provavelmente, minha disposição a fazê-lo eram remotas.
Afinal, o estilo de vida de um servo de Deus é o contrário do que o mundo vive. Os conceitos de Deus são o contrário daquilo que estamos acostumados, ou seja, você tem de perder para ganhar, você não é o dono, logo, você não tem o controle das coisas, Deus tem seus modos que excedem a sabedoria (frágil e pequena) humana.
Para a humanidade isso é terrível. Todos querem o poder de uma forma ou de outra, é o EU contra DEUS (é o singular contra o plural). É a essência do pecado. E para uma pessoa como eu, descobri que até quando eu estou com Deus, quero ter o controle das coisas, planejo como se Deus fosse apenas um expectador, no máximo um avalista, quando deveria ser o contrário, ou melhor, uma associação, uma soma.
Não vou negar, é um choque descobrir isso, seu chão firme cai e você se sente basicamente perdido. Mas ainda assim, não significa um ARREPENDIMENTO.


Mas o que é então o ARREPENDIMENTO? Em poucas palavras, seria algo como Mudar seus pensamentos, seus conceitos, seu estilo, suas idéias e suas atitudes quando comparadas com o que já fez ou tem feito.

A oportunidade de um arrependimento surge quando normalmente há um confronto, isto é, quando conceitos e atitudes são confrontados com a verdade, a realidade de um problema, de um erro que não enxergávamos ou não queríamos enxergar. É como ver uma camisa branca que está suja, depois de lavada, você pensa que está branca novamente. Mas quando comparada com uma camisa branca, você percebe que a lavada não ficou tão branca assim e por isso, você vai e lava melhor, ou seja, você faz melhor. É como você pensar que seu alvejante de roupas deixa sua roupa branquinha e macia, mas você soube de um que pode ser melhor. Aí você o testa e constata que realmente é melhor do que aquele que você usava antes. O que você faz? Passa a comprar esse novo alvejante de roupas, porque o que você usava antes não era tão bom assim. É nesses momentos que há uma oportunidade de arrependimento.
Digo oportunidade, pois apesar de um sentimento estar associado ao ato de Arrepender-se, arrepender-se não é um sentimento, mas uma atitude e independe do sentimento.

Mas aonde você quer chegar com isso? O que tem a ver tudo isso com o fato do evangelista ter ido em sua casa? Simples meu caro “Watson”, o cerne do evangelho é o arrependimento para então receber a salvação, ninguém recebe a salvação genuína sem um genuíno arrependimento.
Se analisarmos as escrituras, principalmente no velho testamento, muitos e muitos são os momentos em que pode ser visto Deus nos exortando para mudarmos nossas atitudes e nos voltarmos a Ele. Arrependei-vos, o Reino de Deus é chegado. Se o meu povo que chama pelo meu nome se arrepender e se humilhar, então eu os ouvirei e os salvarei... Há uma grande variedade de versículos e passagens em que somos alertados para o arrependimento. Em Juízes, muitas são as vezes em que vemos “E seus Reis não se arrependeram de seus atos...” ou “E fizeram como seus antepassados” (ou seja, cometeram os mesmos erros e não se arrependeram).


O próprio Cristo veio para os seus, mas o seus não o receberam, ou seja, eles não se arrependeram.
Mas Jesus Cristo anunciou o apocalipse e João viu o fim e relatou no livro bíblico que leva o nome Apocalipse.
Com o passar dos anos e com as catástrofes e atitudes humanas que vemos e vivenciamos durante a história da humanidade, os símbolos contidos nesse livro bíblico passam a ser compreendidos com facilidade.


Mas ainda que não existisse um livro apocalíptico, o fato é que, para qualquer pensante, tudo o que já vivenciamos e estamos vivenciando, nossa civilização a qual conhecemos já está em colapso.
Desde que o pecado nasceu, com ele nasceu o fim das coisas. Tudo que existe um dia vai deixar de existir. Isso é para mostrar que apenas o Reino de Deus permanecerá.
Civilizações nascem, ascendem e depois caem, impérios e reis surgem, mas entram em colapso e caem. É o ciclo das coisas terrenas, da humanidade. Ele nasce, cresce, depois entra em declínio até desaparecer, morrer.

Já estamos nos fins dos tempos e nossa geração parece estar no fim dos seus tempos. Por todos os lados vemos sinais de falência (não restrito apenas a economia, bens, mas a nível humanidade).
Isso é inevitável, é o ciclo das coisas, mas a questão é, vamos nos arrepender e evoluir ou perecer simplesmente como animais? Vamos nos arrepender e ainda que não sobrevivamos, mas ensinar nossos descendentes a não tomar o mesmo caminho que tomamos?

A verdade é que a nossa sobrevivência depende do nosso arrependimento. E o melhor, nossa Salvação depende do nosso ARREPENDIMENTO. Nossa civilização moderna vive além de seus meios e parece que não queremos enxergar isso. Consumimos as coisas como se elas não fossem acabar!
O conceito de sustentabilidade parece engatinhar enquanto o tempo está acelerado e, ao que parece, o planeta não quer esperar por nosso arrependimento.
Nosso sistema econômico e governamental é fraudulento e corrupto, em meio à crise, somos incentivados a gastarmos mais todos os dias. Os bancos nos ligam oferecendo créditos que excedem em muito nosso salário. As facilidades da tecnologia nos encantam e nos cegam.
Gastamos com aquilo que não é “pão”, só para alimentarmos nosso modo de vida conformados. Nossa civilização construiu um modo de vida que não pode sustentá-lo! Mas continuamos a crescer e a consumir desordenadamente. Nossas fontes naturais são finitas, mas não queremos abrir mão de nossos sonhos e desejos que são infinitos. E continuamos a destruir, a consumir, a gastar e o pior, não conseguimos mais viver, se não, com o modo que vivemos hoje.


Você já imaginou ou experimentou viver uma semana ou 1 dia (que seja) sem energia elétrica?
Não precisamos ir longe num futuro tão distante, mas são coisas que em muitos locais da terra, esse efeito já começa a ser sentido com mais freqüência!
Sem energia, tudo pararia! Eu digo TUDO mesmo. Iríamos voltar à idade da pedra em questão de dias! Sem carros, sem eletrônicos (TVs, rádios, computadores...), sem bancos, sem transportes, sem ventiladores (rs), sem conexão, sem contatos, sem água (hidroelétricas, lembra?), sem alimentos (seus alimentos na geladeira iriam estragar e os supermercados também)!!


Aqui no Brasil, em 2008 (se eu não tiver enganado) uma empresa de telefonia, por um problema em seus aparelhos, interrompeu a conexão de internet por quase um dia inteiro no estado mais rico e populoso do país! Resumindo, foi um grande caos.

Se acontecesse uma tempestade eletromagnética (tempestade solar) forte e ela atingisse a terra, seria o fim do sistema ao qual conhecemos, retornaríamos aos primordios. Você já imaginou ficar sem celular ou qualquer outro meio de contato feito por ondas ou via cabo por uma semana?

O Brasil tem uma das maiores frota de carros do mundo. Um grande mercado que está sendo explorado pelas indústrias de automóveis. Mas já sofremos há tempos por conta da explosão de crescimento tanto populacional quanto da frota de automóveis no país que por sua vez nunca teve um planejamento coerente decente. E pra onde vai parar todos esses carros e maquinas que constroem? É como ter uma piscina de 1.000 litros e você tentar enche-la com mais do que ela suporte, ou seja, vai transbordar.

Você já tentou ficar uma semana sem carro? (É horrível, eu sei, já passei por isso).
Aqui no Brasil, não há investimentos ferroviários, por motivos óbvios e políticos (dinheiro e conveniências, pra não falar outra coisa...), mesmo sendo a forma de transporte de massas e produtos mais economicamente correta e de baixo custo.


Você já imaginou se o sistema bancário falha por uma semana?
Todo o nosso dinheiro está lá. Se falhar e por algum motivo minha conta amanhecer zerada e para alguns, cheia de dinheiro, seria o caos!
Com certeza, nas altas temperaturas que estamos enfrentando, queremos nos refrescar ou que seja apenas ficar em uma sombra.


Você imaginou (o que já existe também) um país em que não há áreas verdes? Com esse calor, mesmo dentro de casa, protegidos não é a mesma coisa que estar debaixo de uma árvore em um bosque, ou horto. Mas você pode ter certeza que nesse exato momento, existe uma empresa de extração de arvores fazendo seus milhares de cortes para atender a grande demanda de móveis e outros objetos que utilizam as árvores de nossas florestas. Um ambiente predominantemente árido por natureza é uma coisa, mas uma ambiente transformado em "selva de pedra" é algo totalmente diferente.
Existe a história de um povo de uma pequena ilha e que vivia da extração de suas árvores. O povo cresceu, mas não amadureceu, ou seja, continuou a destruir suas florestas. Essa civilização entrou em ruínas e o que restou na ilha foi apenas as grandes estátuas de imagens que eles ofereciam aos seus deuses (possivelmente para acalmá-los, mas penso que não deu muito certo).
Não é diferente da nossa civilização. Sem arvores, sem florestas, sem animais, sem rios, sem equilíbrio... resultado: colapso e extinção.


Mas o pior, você já imaginou ficar sem água?
Nosso problema de escassez de água é maior do que a economia de petróleo ou de qualquer outra fonte natural por exemplo. Isso porque o mundo pode sobreviver sem o petróleo, ainda que haja uma mudança drástica até a substituição dele, o mundo viveu sem ele, assim como pode sobreviver sem muitas outras fontes de energia, como a elétrica, por exemplo, mas não podemos ficar sem água e não há um substituto para ela!
A inexistência da água ou na falta dela, somos afetados diretamente nesse efeito dominó. 
Resumidamente, sem água, sem vida. A vida se extingue em questão de dias. A civilização entra em colapso total em questão de horas!


“Ah, isso é puro sensacionalismo!!”... dirá alguns, mas é dessa ilusão de soberania é que devemos nos arrepender.
Estamos cegos e seguros em nós mesmos, mas somos falhos! Confiamos em nossas conexões de internet a ponto de deixar e utilizar tudo conectado, mas uma hora ela vai parar e em definitivo.

O desastre no Japão no ano passado (2011) nos dá um exemplo disso. Mas eles, diferente de outros povos, parecem que aprenderam com seus erros ou simplesmente tomaram outra posição mediante ao desastre. Estão se reerguendo, se uniram em prol do bem maior.
Diferentemente na Europa que por causa da grande crise que está se abatendo lá, com o desemprego, a população se revoltou e o que seria uma oportunidade para união do povo, virou anarquia e destruição. No Brasil (outros países também), o povo se revolta por causa do placar do jogo de futebol e rivalidade entre torcidas!!


Os povos se unem por causas, por vezes, sem fundamento ou para proteger um estilo de vida vã, mas não consegue se unir para tentar tomar medidas que, independente de raça, religião ou crença, vão nos ajudar a mudar. Estamos acabando com as florestas em prol do consumismo que alimenta o capitalismo, acabando com nossos rios e lagos e até os oceanos a ponto de sermos duramente castigados por isso, mas continuamos a consumir e a consumir cada vez mais.
Precisamos acordar, precisamos abrir os olhos e ver o que está acontecendo, ainda que não haja muitos que acreditam que não há um Deus e muito menos um apocalipse. Os efeitos dos nossos atos estão aí e não são bons. Mas nossa sociedade não quer acreditar nisso.


Como eu disse, saber do problema é uma coisa, lamentar é outra coisa, mas ARREPENDER-SE é algo totalmente diferente. Não estamos dispostos a mudar nossos hábitos, nosso modo de vida. É como se o nosso cérebro desligasse para esse tipo de pensamento, e o problema passasse a ser sem importância.
Nosso EGO continua a ser maior diante ao fim eminente, continua a ser maior do que o próprio DEUS.
Eu não preciso ir longe, na ultima eleição presidencial em nosso país ganhou o candidato que, em resumo, iria continuar o que seu antecessor fez, ou seja, o crescimento econômico e social do nosso país.  Ótimo, nosso país cresceu, mas chegamos a conclusão de que todo o crescimento mundial está baseado em consumismo às custas dos nossos recursos naturais e principalmente, seguindo os mesmos erros dos nossos antepassados. O único candidato que mostrou alguma mudança nesse quesito foi o último colocado. Quem quer mudar seu negócio para ser algo mais sustentável do que apenas capitalista? Ou seja, o time está ganhando, então não vamos mexer. O problema é que o time todo está perdendo.

Um povo perece por falta de conhecimento. Mas há informações aos montes, o problema é que nosso foco é outro.
“A geração que negligencia seu passado (seus erros e acertos) é uma geração sem futuro.” Todo mundo sabe do passado do Brasil (e de muitos outros países). Uma palavra que resume bem nossa cultura é Exploração. Mas não é o mal apenas de um país, é o mal do planeta.

E o que dizer àqueles que vivem à margem da sociedade, a população pobre que não tem acesso a informações? Bom, os detentores do conhecimento não anunciam e também não fazem nada, então, como está descrito na bíblia, “àqueles que têm lhe será tirado, aos que não tem até isso lhe será tirado.”

Como eu disse outra vez e é fato, estamos caminhando a passos largos para o fim, mas isso é inevitável. A grande questão é o que vamos fazer daqui pra frente. Talvez eu não veja o pior que está por vir, mas não podemos ficar acomodados simplesmente por saber que quem vai sofrer o pior vai ser a próxima geração. A próxima geração serão meus filhos, seus filhos, filhos de seus filhos, seus descendentes.

Há quem diga que, parece ser muito conveniente então clamarmos a Deus e sermos salvos e o restante que “se lasque” (com o perdão da palavra). A verdade é que mesmo você recebendo a salvação de Cristo, você precisa guardá-la, pois a qualquer momento você pode perdê-la. Então, não há nada de conveniente nisso. Não é um jogo, mas sim cada um fazendo a sua parte, em união, para alcançarmos o ALVO, a saber, Jesus Cristo. Sem o Senhor, em vão caminha o homem. Ter a Salvação não significa que estamos isentos, pois assim como Jesus não veio para abolir a lei, mas sim para cumpri-la, os que são de Deus também. A própria Bíblia nos ensina que aquilo que plantarmos vamos colher, é regra. Ninguém ficará livre de colher aquilo que plantou um dia e receber aquilo que deu. E a humanidade não tem plantado com muita sabedoria.

Basicamente, a mensagem é simples como a do evangelista que bateu em minha porta outro dia, simples como o Evangelho de Cristo é, “ARREPENDEI-VOS, pois o reino de Deus é chegado a vós.”
Isso requer sacrifício e obediência, esforço e determinação, mudança de atitude, abnegação... enfim, é difícil, mas eu prefiro tentar e eu preciso de ajuda de Deus.
Ainda assim, o fim é inevitável, mas o que vale são minhas atitudes, que como diria “Maximus Decimus Meridius” (personagem do filme Gladeador), “O que fazemos aqui, ecoa na eternidade!”.

...
“Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura.” - Isaías 55:2

“O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.” Marcos 1:15