Versículo do Dia

segunda-feira, agosto 20, 2012

Documentário...

Sicko - SOS Saúde


A idéia do documentário é uma só: tratamentos de saúde deveriam ser gratuitos.

Em contra partida, o documentário mostra o deficiente (ou falido?) sistema de saúde americano. A partir do perfil de cidadãos comuns, somos levados a entender como milhões de vidas são destruídas por um sistema que, no fim das contas, só beneficia a poucos endinheirados. Ali vale a lógica de que, se você quer permanecer saudável nos Estados Unidos, é bom não ficar doente.
Para provar que a idéia de uma saúde coletiva eficiente é viável o autor viaja a países em que isso efetivamente acontece: França, Inglaterra, Canadá e até Cuba!

Particularmente falando, o documentário é excelente e pode lhe causar uma mistura de sentimentos, como revolta, indignação, tristeza! Ver uma médica confessar numa audiência no Congresso que foi promovida ao vetar um procedimento médico no valor de 500 mil dólares ao custo da vida do segurado. Um médico de empresa de saúde relatar um sistema de bônus aos que conseguirem economizar para as seguradoras ao negar atendimento/tratamento médico. Depoimentos de "assegurados" e pacientes que tiveram seus familiares ceifados por não conseguirem atendimento/tratamento médico é de, no mínimo, te deixar em estado de choque.

Nós reclamamos muito do nosso sistema de saúde, que sim, não é tão diferente dos Estados Unidos, mas mostra também que aquela imagem que é "vendida" dos EUA é mais uma mascara de uma socidade que passa ou se vê em uma grande crise. Não é a toa o descontentamento da população norte americana quando se fala em Barack Obama que, depois de ser tido como o "salvador da pátria" quando eleito, hoje, diante de muralha da ganância, do conservadorismo e da corrupção dentro do governo, não conseguiu fazer muita coisa principalmente no setor da saúde.

Como disse anteriormente, é difícil não fazermos comparações. Somos um país "subdesenvolvido" e ainda sim, nós temos o SUS que, em teoria, é a "8ª maravilha do mundo", mas que na prática, é bem diferente. Nós temos uma política de saúde publica que, mesmo estando apenas no papel, cabe a nós, cidadãos, lutarmos para que, aquilo que existe no papel, passe a ser praticado, passe a valer de verdade.

O que nos arremete a outro problema que é citado no documentário. Uma população/sociedade alienada, desonrientada, sem conhecimento e sem vontade para mudar algo. Isso é realidade, pois enquanto assistia ao documentário em sala de aula, uma boa parte dos alunos se apressaram a sair. Esses mesmo alunos/jovens são o "futuro" da sociedade e, se já na bastasse isso, também são o futuro da saúde no país...

Voltando ao documentário... bom... vale muito a pena assistir.

Como dizem, "sempre existe algo pior".

Abraços a todos, fiquem na paz e até a próxima.

quinta-feira, agosto 09, 2012

Para pensar...

SER FELIZ OU TER RAZÃO?

Recebi esse texto da minha tia por e-mail já faz algum tempo e o guardei por ter um grande ensinamento. Agradeço pela mensagem e espero que do mesmo jeito que Deus me ensinou algo através dela, te inspire ou te faça a pensar em algumas atitudes que talvez você tenha tomado.

O texto é pequeno e vale a pena ler...

"... Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.

Mas ele ainda quer saber: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais...

E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de
uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!"

MORAL DA HISTÓRIA:

Esta pequena história foi contada por uma empresária durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não.

Confesso, é difícil manter a calma em situações de estresse ainda mais quando o nosso EGO quer se impor sempre, sem falar que vivemos em tempos de pura competição, egoísmo e alienação. Dominar o EU é difícil, mas pode ser feito!

Em se tratando de relacionamentos, não é uma competição onde quem está mais certo é o que importa, mas sim uma cooperação, o trabalho junto e a compreensão são importantes.

Viver isso é uma arte, requer muito, muito esforço e dedicação diária, mas vale a recompensa.
Eu agradeço a Deus por ter me enviado uma esposa tão compreensiva e sábia...
 
 “Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam”.

quarta-feira, agosto 01, 2012

Fisioterapia

Taí um folder que criamos para divulgação da Fisioterapia na Saúde da Mulher. Vale a pena conferir.



Abraços a todos!