Versículo do Dia

segunda-feira, dezembro 24, 2012


Mensagem - Fim de Ano 2012

Deus é bom e sua misericórdia dura para sempre! Deus é bom! Deus é bom...

Esse ano de 2012, em particular, foi um dos anos mais desafiadores que tive e, é justamente nessas situações é que percebemos o quanto Deus é bom e o poder de sua Graça em nossas vidas!

Nas nossas falhas, nos nossos erros, diante do nosso ímpeto, do nosso ego e de muitas vezes, do nosso desejo de controle das coisas, Ele ainda permanece fiel! Deus é bom!

Esse ano, eu e minha digníssima esposa começamos a fazer faculdade, ela cursando pedagogia, eu cursando algo totalmente diferente daquilo que estou acostumado, Fisioterapia. Quem diria, alguém acostumado a lidar com computadores, sistemas e softwares, antes via numa bancada um micro desmontado ou para conserto, agora vejo numa bancada, em um dos laboratórios da faculdade, vejo a maravilha do corpo humano.

Há mais de 12 anos longe dos estudos, tem sido desafiador, tanto pra mim, quanto pra minha esposa, lidar com os obstáculos. Mas Deus é bom!

Precisamos dar sentido em nossos atos, sentido para o trabalho/obra das nossas mãos e é isso que tento buscar. Tantas batalhas, mas também tantas conquistas... estamos caminhando, estamos progredindo, conquistando e evoluindo... graça de Deus! Deus é bom!

E é essa a mensagem que gostaria de deixar pra vocês... Deus é bom!!! Deus é bom, ainda que... não importa... Deus é bom! Tudo cooperar para o bem daqueles que confiam no Senhor... É nessa simplicidade que está o maior desafio de nossas vidas... simples como crianças, vemos a Graça de Deus! E como é difícil ser simples! Como é difícil confiar, esperar... Mas Deus é bom e sua misericórdia dura para sempre!

A todos que de certa forma fazem ou fizeram parte, direta ou indiretamente, das nossas vidas, vai o nosso Obrigado por Tudo, desculpem alguma coisa, fiquem com esse Deus bom e... até mais!

Feliz Natal e Feliz Ano Novo a todos!

sexta-feira, novembro 16, 2012

Mensagem...
45 + 1 ...
 
Recebi essa mensagem do meu professor de Bioquímica (valeu Zé!!) e achei muito interessante. No mínimo, são boas dicas de uma anciã de como viver bem (ou um pouco melhor) a vida.
Me fez lembrar do livro de Eclesiastes. Eu sempre imagino, quando leio esse livro da bíblia, Salomão já bem ancião, deitado em sua rede em sua varada em seu big palácio fazendo o balança da vida que viveu e de tudo que ele fez... dicas importantíssimas!

Segue abaixo:
Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, assina uma coluna no The Plain
Dealer, Cleveland, Ohio.
  
"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a
vida me ensinou.
É a coluna mais solicitada que eu já escrevi."
 
Meu hodômetro passou dos 90 em agosto,  portanto  aqui vai a coluna mais uma
vez:
 
1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
 
2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .
 
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
 
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e
familiares cuidarão. Permaneça em contato.
 
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
 
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
 
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
 
8. As vezes ficamos bravos com Deus, porém só Ele sabe o melhor para você.
 
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
 
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
 
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
 
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
 
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a
jornada deles.
 
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar
nele.
 
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos, Mas não se preocupe; Deus nunca
pisca.
 
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
 
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
 
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
 
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por
sua conta e ninguém mais.
 
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como
resposta.
 
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic.  Não guarde
isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
 
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
 
23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir  roxo.
 
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
 
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
 
26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em
cinco anos, isto importará?'
 
27. Sempre escolha a vida.
 
28. Perdoe tudo de todo mundo.
 
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
 
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..
 
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
 
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
 
33. Acredite em milagres.
 
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que
você fez ou não fez.
 
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
 
36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.
 
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
 
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
 
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os
lugares.
 
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos
os outros como eles são, nós pegaríamos  nossos mesmos problemas de volta.
 
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
 
42. O melhor ainda está por vir.
 
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
 
44. Produza!
 
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.


Essa última é inclusão minha, na verdade, o sábio Salomão deixou-nos essa grande dica escrita no Livro Sagrado. Essa não poderia faltar...

46. De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. (Eclesiastes 12:13-14)

Fisioterapia

Mais um folder que criamos para divulgação da Fisioterapia, agora nas áreas de Ortopedia, Traumatologia e Desportiva. Vale a pena conferir.


 Abraços a todos!

segunda-feira, agosto 20, 2012

Documentário...

Sicko - SOS Saúde


A idéia do documentário é uma só: tratamentos de saúde deveriam ser gratuitos.

Em contra partida, o documentário mostra o deficiente (ou falido?) sistema de saúde americano. A partir do perfil de cidadãos comuns, somos levados a entender como milhões de vidas são destruídas por um sistema que, no fim das contas, só beneficia a poucos endinheirados. Ali vale a lógica de que, se você quer permanecer saudável nos Estados Unidos, é bom não ficar doente.
Para provar que a idéia de uma saúde coletiva eficiente é viável o autor viaja a países em que isso efetivamente acontece: França, Inglaterra, Canadá e até Cuba!

Particularmente falando, o documentário é excelente e pode lhe causar uma mistura de sentimentos, como revolta, indignação, tristeza! Ver uma médica confessar numa audiência no Congresso que foi promovida ao vetar um procedimento médico no valor de 500 mil dólares ao custo da vida do segurado. Um médico de empresa de saúde relatar um sistema de bônus aos que conseguirem economizar para as seguradoras ao negar atendimento/tratamento médico. Depoimentos de "assegurados" e pacientes que tiveram seus familiares ceifados por não conseguirem atendimento/tratamento médico é de, no mínimo, te deixar em estado de choque.

Nós reclamamos muito do nosso sistema de saúde, que sim, não é tão diferente dos Estados Unidos, mas mostra também que aquela imagem que é "vendida" dos EUA é mais uma mascara de uma socidade que passa ou se vê em uma grande crise. Não é a toa o descontentamento da população norte americana quando se fala em Barack Obama que, depois de ser tido como o "salvador da pátria" quando eleito, hoje, diante de muralha da ganância, do conservadorismo e da corrupção dentro do governo, não conseguiu fazer muita coisa principalmente no setor da saúde.

Como disse anteriormente, é difícil não fazermos comparações. Somos um país "subdesenvolvido" e ainda sim, nós temos o SUS que, em teoria, é a "8ª maravilha do mundo", mas que na prática, é bem diferente. Nós temos uma política de saúde publica que, mesmo estando apenas no papel, cabe a nós, cidadãos, lutarmos para que, aquilo que existe no papel, passe a ser praticado, passe a valer de verdade.

O que nos arremete a outro problema que é citado no documentário. Uma população/sociedade alienada, desonrientada, sem conhecimento e sem vontade para mudar algo. Isso é realidade, pois enquanto assistia ao documentário em sala de aula, uma boa parte dos alunos se apressaram a sair. Esses mesmo alunos/jovens são o "futuro" da sociedade e, se já na bastasse isso, também são o futuro da saúde no país...

Voltando ao documentário... bom... vale muito a pena assistir.

Como dizem, "sempre existe algo pior".

Abraços a todos, fiquem na paz e até a próxima.

quinta-feira, agosto 09, 2012

Para pensar...

SER FELIZ OU TER RAZÃO?

Recebi esse texto da minha tia por e-mail já faz algum tempo e o guardei por ter um grande ensinamento. Agradeço pela mensagem e espero que do mesmo jeito que Deus me ensinou algo através dela, te inspire ou te faça a pensar em algumas atitudes que talvez você tenha tomado.

O texto é pequeno e vale a pena ler...

"... Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.

Mas ele ainda quer saber: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais...

E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de
uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!"

MORAL DA HISTÓRIA:

Esta pequena história foi contada por uma empresária durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não.

Confesso, é difícil manter a calma em situações de estresse ainda mais quando o nosso EGO quer se impor sempre, sem falar que vivemos em tempos de pura competição, egoísmo e alienação. Dominar o EU é difícil, mas pode ser feito!

Em se tratando de relacionamentos, não é uma competição onde quem está mais certo é o que importa, mas sim uma cooperação, o trabalho junto e a compreensão são importantes.

Viver isso é uma arte, requer muito, muito esforço e dedicação diária, mas vale a recompensa.
Eu agradeço a Deus por ter me enviado uma esposa tão compreensiva e sábia...
 
 “Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam”.

quarta-feira, agosto 01, 2012

Fisioterapia

Taí um folder que criamos para divulgação da Fisioterapia na Saúde da Mulher. Vale a pena conferir.



Abraços a todos!

domingo, maio 13, 2012

Estudo...

Entendendo um pouco a Esquizofrenia


Com o início da Faculdade, como vocês puderam perceber, as atualizações do blog ficaram mais difíceis, mas não vamos abandoná-lo não, vamos continuar atualizando na medida do possível!

Abaixo segue um documento/texto, editado para ser apresentado na faculdade, falando um pouco sobre a patologia Esquizofrenia.

Particularmente falando, foi muito interessante pesquisar sobre isso, pois além de ser muito intrigante a forma como nosso cérebro trabalha e as doenças que afentam nosso cérebro, tenho um histórico familiar de patologias mentais, como a própria esquizofrenia, o alzheimer e a depressão. Então foi muito interessante e aproveitosos aprender um pouco sobre isso.

Após a avaliação do professor, estarei postando mais informações sobre o tema.

Fonte do material: Youtube e www.entendendoaesquizofrenia.com.br

Abraços a todos e fiquem na Paz.


ESQUIZOFRENIA


O que é?

É uma patologia Mental, que afeta funções cerebrais alterando a capacidade de diferenciação entre realidade e fantasia.
Normalmente e socialmente, a patologia ainda é estigmatizada como loucura e, consequentemente, seu hospedeiro é vulgarmente chamado de Louco.
Ela altera diretamente a estrutura vivencial do paciente, ou seja, baseando-se que o ser humano é a relação que ele estabelece com o ambiente, o paciente Esquizofrênico tem essa relação com o meio profundamente abalada, tanto a nível do pensamento e da afetividade e, consequentemente, todo comportamento e toda performance existencial do indivíduo serão comprometidos.
Aproximadamente 1% da população é acometida pela doença, geralmente iniciada antes dos 25 anos e sem predileção por qualquer camada sócio-cultural.

Quais os sintomas?

Os transtornos esquizofrênicos se caracterizam, em geral, por distorções do conteúdo pensamento (delírios), da percepção (alucinações) e por inadequação dos afetos.
Os sintomas característicos da Esquizofrenia podem ser agrupados, genericamente, em 2 tipos: positivos e negativos.
Positivos:
·         Delírios (persecutórios, grandeza, ciúmes, místicos, somáticos). É o carro chefe dos Sintomas da Esquizofrenia.Ex.: A pessoa está convicta de estar sendo perseguida o tempo todo, que está sendo vigiada, que estão escutando seus pensamentos, invadindo sua mente...
·         Alucinações (auditivas, visuais, táteis e olfativas). Outro sintoma muito típico da patologia, sendo geralmente experimentadas como vozes conhecidas ou estranhas, que são percebidas como distintas dos pensamentos da própria pessoa. embora as vozes pejorativas ou ameaçadoras sejam especialmente comuns.
·         Perturbações do pensamento (incoerência, prolixidade... "não fala coisa com coisa").
·         Comportamento desorganizado, agitação, euforia.
Negativos:
·         Pobreza do conteúdo do pensamento e da fala
·         Rigidez afetiva
·         Incapacidade de sentir emoções eprazer
·          Isolamento social
·         Diminuição da iniciativa e da vontade.
A pessoa passa a funcionar mal em áreas significativas da vida cotidiana, como na escola ou trabalho, nas relações sociais e familiares.

Os próprios pacientes experimentam os seguintes sentimentos:

A.    Perplexidade: No começo da doença os pacientes informam um sentimento de estranheza (Trema) sobre a experiência, alguma confusão sobre de onde veem os sintomas (normalmente alucinações) e se perguntam parque sua experiência diária tem mudado tanto.
B.     Isolamento: A pessoa esquizofrênica experimenta uma sensação intensa de ser diferente dos demais e de estar separada de outras pessoas. O isolamento social, evitar contactos tornam-se evidente.
C.     Ansiedade e Terror: Em geral a experiência cotidiana está invadida por uma sensação geral de mal estar e ansiedade. Evidenciam-se os períodos de terror intenso, causado por um mundo dentro do qual tudo parece perigoso e incontrolável, normalmente atribuído a origens externas e mágicas.

Os fatores de riscos

Alguns pesquisadores acreditam que a esquizofrenia é resultado de uma combinação de fatores genéticos (hereditariedade) e ambientais. Certas pessoas nascem com essa tendência, mas o problema só aparece se forem expostas a determinados fatores ambientais.
Há alguns modelos que são estudados como fatores de riscos para patologias mentais como a Esquizofrenia:
·         O modelo Sociogênico, no qual a sociedade, complexa e exigente, é a responsável exclusiva pelo enlouquecimento humano.
·         O modelo Organogênico, onde os elementos orgânicos da função cerebral seriam os responsáveis absolutos pela Doença Mental.
·         O modelo Psicogênico, onde a dinâmica psíquica é responsável pela doença e subestimam-se as disposições constitucionais.
·         O modelo Organodinâmico, que compatibiliza todos três anteriores, onde participariam requisitos biológicos, motivos psicológicos e determinantes sociais.

Tipos de Esquizofrenia

Tipo Paranóide: É o tipo mais comum e é caracterizado pela presença central de delírios, normalmente com conteúdos persecutórios, autorreferentes, de ciúmes ou de mudanças corporais. A presença de alucinações principalmente auditivas também faz parte do quadro característico. A presença de prejuízos da volição e discurso, bem como os distúrbios do afeto e sintomas catatônicos mostram-se pouco proeminentes.
 Tipo Desorganizado ou Hebefrênico: A característica marcante neste tipo é o prejuízo do pensamento e o comprometimento afetivo. O pensamento se mostra desorganizado com delírio pouco ou não estruturados com discurso fragmentado. Quanto ao afeto este encontra-se inapropriado e superficial com risos imotivados e comportamento pueril o bizarro. Normalmente o início da Esquizofrenia dá-se precocemente e a evolução é pior quando comparado ao tipo paranóide pela precoce e grave instalação de sintomas negativo.
 Tipo Catatônico: A alteração marcante neste tipo diz respeito a psicomotricidade podendo apresentar períodos de mutismo, intenso negativismo, obediência automático e flexibilidade cérea, e em outro momento agitação e excitação chegando a um intenso estado de agitação e violência denominado FUROR CATATÔNICO. Os sintomas positivos como delírios e alucinações são ausentes ou com importância secundária.
 Tipo Indiferenciado: Enquadra-se quando não é possível a definição por não haver claro predomínio dos sintomas que delimitam os Tipos de Esquizofrenia.
 Tipo Residual: Consiste no estágio crônico da doença onde os sintomas positivos, que caracterizaram o diagnóstico de Esquizofrenia, estão ausentes ou diminuídos e os sintomas negativos prevalecem e se destacam.
 Transtorno Deteriorante Simples ou Tipo Simples: Caracteriza-se pelo surgimanto de forma insidioso porém progressivamente dos sintomas negativos sem que sejam precedidos por sintomas positivos.

O que não é Esquizofrenia?
Há alguns mitos sobre a esquizofrenia bastante enraizados na opinião popular. Boa parte desses mitos se originou na mídia, através de filmes e romances sobre “loucos” e psicóticos que, além da qualidade literária e artística, não guardam, obrigatoriamente, uma coerente relação com a verdade científica. 
A esquizofrenia não é a dupla pessoalidade. Apesar do termo esquizofrenia cunhado por Bleuler em 1911 significar mente partida, hoje sabemos que a síndrome de esquizofrenia é muito mais ampla que isso e não tem por que incluir nela os Transtornos de Personalidade Múltipla.
A esquizofrenia não é uma violência sem sentido.   O mito da violência psicótica provavelmente se deve ao grande diretor Alfred Hitchcock e afins, cujo trabalho consiste em dirigir filmes de agrado popular mas não, necessariamente, com bases científicas e reais.  
Também é possível que este mito se deva ao tratamento da esquizofrenia com medicamentos sedativos. Mas, na maioria das vezes, a sonolência é um efeito secundário da medicação antipsicótica mais do que uma imperiosa necessidade de “dopar” o paciente para ele não agredir.
A porcentagem de pacientes psicóticos esquizofrênicos que pode ser violenta é, felizmente, pequena. A agressividade dos psicóticos costuma ocorrer praticamente na mesma proporção da violência na população em geral. Aliás, podemos dizer, de maneira geral, que quem mais agride é a sociedade ao “louco” do que o contrário; é a sociedade das pessoas normais quem prende, agride, amarra, interna sem consentimento, seda, dopa, exclui e estigmatiza.

Tratamento da Esquizofrenia

Os antipsicoticos, familiares e amigos são a principal rede de apoio de pacientes com esquizofrenia.

O curso da esquizofrenia é variável. Alguns pacientes se recuperam totalmente, outros têm recorrências com ou sem piora do funcionamento ou apresentam piora progressiva e cronificação.
Os medicamentos antipsicóticos são o tratamento de escolha para esquizofrenia, tanto na fase aguda como na fase de manutenção. Têm ação pronunciada sobre alguns sintomas, como tensão, hiperatividade, agressividade, hostilidade, alucinações, delírio, insônia, anorexia, negativismo, isolamento. Por outro lado, não proporcionam melhora acentuada da crítica, juízo, memória, orientação.
A resposta a cada medicação é individual e a escolha do antipsicótico clássico pode ser feita de acordo com o perfil de efeitos colaterais e o risco do paciente para estes. Pacientes idosos, por exemplo, têm maior risco de complicações com os efeitos colaterais anticolinérgicos e com a hipotensão postural, sendo mais indicado o uso de um antipsicótico potente. E importante ressaltar que a associação de duas ou mais medicações antipsicóticas clássicas não potencializa efeito antipsicótico, sendo tão efetivo quanto o uso de uma medicação isolada, enquanto os efeitos colaterais se somam. Desse modo, as associações devem ser evitadas, exceto quando se procura efeitos diversos, tais como sedação e, ao mesmo tempo, diminuição dos sintomas psicóticos.
Deve iniciar-se o tratamento com dose baixa, aumentando-a gradualmente, conforme a adaptação do paciente, até atingir dose ideal. A instalação do efeito antipsicótico dessas medicações demora algumas semanas, de modo que se deve esperar, no mínimo, 8 semanas antes de considerar que o paciente não respondeu ao tratamento. Existem preparações na forma injetável de alguns dos antipsicóticos, que podem ser usadas para conter agitação ou agressividade.
Se a reposta é parcial após 4-6 semanas e há indícios de que o nível sérico do antipsicótico é baixo, pode-se tentar aumento da dose, pois o paciente pode ter deficiência na absorção da medicação ou metabolismo aumentado. Se não há resposta, deve mudar-se para um antipsicótico de outra classe. Se não há melhora com uso de três antipsicóticos clássicos diferentes usados por tempo suficiente, caracteriza-se refratariedade aos antipsicóticos e o uso de antipsicóticos de nova geração é indicado.
Os novos antipsicóticos vêm sendo cada vez mais usados também como medicação de primeira linha no tratamento inicial da esquizofrenia. Esses medicamentos têm eficácia semelhante a dos antipsicóticos clássicos nos sintomas positivos e são mais eficazes nos sintomas negativos da esquizofrenia, além de apresentarem menos efeitos extra-piramidais nas doses clínicas habituais
O uso de antipsicóticos também é indicado como tratamento de manutenção, para reduzir o risco de recaídas. O tratamento de manutenção deve ser contínuo, devido ao risco maior de recaída com tratamentos com uso intermitente de medicação antipsicótica. A dose usada no controle do quadro agudo vai sendo reduzida gradativamente, ao longo de vários meses, até atingir a menor dose efetiva possível, em geral cerca de metade da dose utilizada na fase aguda. O tempo de manutenção da medicação deve ser de pelo menos 5 anos; após esse período, se não houver recaídas, é possível estudar a possibilidade de redução e eventualmente suspensão do antipsicótico.
Pacientes com esquizofrenia geralmente têm pouca crítica da doença, deixando de aderir ao tratamento medicamentoso com muita frequência. Uma alternativa é o uso de medicação injetável de depósito (depot). A mudança de medicação oral para a de depósito não pode ser abrupta. A medicação oral deve ser mantida por pelo menos 3 meses, até que o nível sérico do antipsicótico injetável se estabilize.
Cerca de 25 % dos pacientes esquizofrênicos respondem insatisfatoriamente ao tratamento medicamentoso habitual. A persistência, seja de sintomas positivos seja de sintomas negativos, dificulta a utilização de abordagens psicossociais e prejudica a reintegração social do paciente.
Normalmente os antipsicóticos típicos são divididos em 2 grandes grupos funcionais; os sedativos e os incisivos. Eles podem ser usados associados ou isoladamente, conforme o caso. Os antipsicóticos sedativos são utilizados, predominantemente, para pacientes psicóticos com inquietação, agitação ou ansiedade exageradas. Esses antipsicóticos sedativos podem ou não ser associados aos incisivos, dependendo da exuberância dos sintomas psicóticos (alucinações e delírios).
Assim sendo, os antipsicóticos sedativos são como diz o nome, bastante sedativos e pouco incisivos, ou seja, atuam mais nos estados de agitação que de delírio ou alucinação.
Por outro lado, os antipsicóticos incisivos são indicados sempre que houver exuberância de sintomas delirantes e alucinatórios.
A administração dos antipsicóticos clássicos causa diminuição aguda de interesse e iniciativa, assim como diminuição da manifestação de emoções ou afetos. Inicialmente, pode haver lentidão na resposta a estímulos externos e sonolência, mas os indivíduos são facilmente acordados e mantêm funções intelectuais intactas. Pacientes psicóticos ficam menos agitados e pacientes isolados ou autistas ficam mais responsivos e comunicativos e o comportamento agressivo e impulsivo diminui.
Gradualmente, em dias ou semanas, os sintomas psicóticos, como os delírios, as alucinações e o pensamento desorganizado tendem a desaparecer com o uso dos antipsicóticos. Nesse período, também podem aparecer os chamados sintomas extrapiramidais, que são efeitos colaterais na esfera psicomotora e caracterizados por bradicinesia, rigidez muscular, tremores e acatisia.

domingo, fevereiro 12, 2012

Meu cunhado me enviou um email bem fofo esta manhã e ja vi em outros lugares na net também, resolvi postar aqui pois acredito nesta mensagem.
Pois como diria meu marido: " O maior segredo do Evangelho, é se colocar no lugar do outro", e as vezes tudo o que precisamos e de um sincero elogio.


A Importância do Elogio

Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde nota-se que os membros das famílias brasileiras estão cada vez mais frios, não existe mais carinho, não valorizam mais as qualidades, só se ouve críticas. As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se desgastam valorizando os defeitos dos outros. Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.

A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda.

Não vemos mais homens elogiando suas mulheres, ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando, amigos, etc.

Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro, e que por conseqüência são pessoas que tem a obrigação de cuidar do corpo, do rosto.

Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias, e a falta de diálogo em seus lares e o excesso de orgulho impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa carência para dentro dos consultórios, acabam com seus casamentos, acabam procurando em outras pessoas o que não conseguem dentro de casa.

Vamos começar a valorizar nossas famílias, amigos, nossos subordinados. Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras, o comportamento de nossos filhos. Vamos observar o que as pessoas gostam.

O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser reconhecidos, o bom amigo, a boa dona de casa, a mulher que se cuida, o homem que se cuida, enfim vivemos numa sociedade em que um precisa do outro, é impossível um homem viver sozinho, e os elogios são a motivação na vida de qualquer pessoa.

Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando de alguma forma?
Pense nisso!
Pratique! 
Não custa nada, e sempre pode salvar o dia de alguém!
Arthur Nogueira (Psicólogo)

sábado, fevereiro 11, 2012

Mensagem...
"ARREPENDEI-VOS, pois o reino de Deus é chegado a vós."

“A geração que negligencia seu passado (seus erros e acertos) é uma geração sem futuro.”

Eu estive pensando nessa frase, na verdade, um conceito, uma verdade. É mais do que uma filosofia, um pensamento de algum mero mortal, mas é bíblico, um desejo de Deus para nós, não negligencie seu passado, mas aprenda com os erros.

Estive me recordando de todas as vezes que Deus, seja no novo ou no velho testamento, quantas e quantas vezes nos orienta a isso, ou seja, o conceito básico da bíblia é esse, a mensagem principal é essa, ARREPENDEI-VOS.

Ontem eu estava em minha casa, em meio ao caos de meus pensamentos somado a minha alienação quando de repente bate em meu portão um homem.Era parte da tarde, um sol forte que em poucos minutos de exposição a ele, para uma pessoa que basicamente vive em ambientes fechados é quase que, como li em um status de uma amiga no facebook, uma amostra grátis do inferno.
Mas lá estava o homem. Logo de cara percebi que não era do bairro. Simpático e simples, não pediu nada, apenas se apresentou. Disse que estava evangelizando e perguntou se eu poderia ouvir algo. Eu poderia ter “poupado” ele disso e dizer que já sou convertido, mas resolvi deixá-lo anunciar as Boas Novas. Queria ouvir o que ele tinha a dizer.Na sua simplicidade (e esses herdarão os Céus segundo Jesus Cristo), me entregou um pequeno folheto e sucinto, disse que era minha consciência para com Deus que era importante. Arrependei-vos, disse ele (como João Batista, mas menos dramático, tirando a parte “bando de víboras”), Jesus Cristo é a Salvação pra nós e para todos os que estão ao meu redor e que Jesus é a Salvação através de mim (entendi o recado, assim como recebi, tenho que anunciar também).
Amém e amém, disse a ele, dizendo que já era convertido. Ele olhou para o céu. Pensei que iria falar do sol quente e também reclamar do extremo calor, mas não, ele agradeceu pelo sol, agradeceu pela minha vida, e agradeceu a Deus pela oportunidade de estar entregando a Palavra de Deus para mais essa família/casa.
Na sua simplicidade e humildade, fui impactado, apenas disse “Amém... que Deus o acompanhe...”. Entrei em casa e pensei: “Como Deus não se agradaria de uma pessoa como esta? Enquanto eu estou aqui envolto do meu conforto e tecnologia, alienado em meus pensamentos, controle das coisas e expectativas futuras, somado ao consumismo e o capitalismo (e o ventilador do meu quarto), esse homem deixou para trás o conforto, a vergonha e seus problemas para tão somente bater de porta em porta e anunciar o evangelho de Cristo, a saber, o arrependimento dos pecados e a Salvação, em pleno sol das 14hs da tarde de um dia muito, mas muito quente.”. A única coisa que pude fazer foi dizer: “maldito modo de vida que levo” e orei rápido por esse homem: “Deus, acompanhe esse homem e o abençoe.”.


Ter esse tipo de experiência me baqueou, confesso, mas isso não significa que houve um arrependimento.

Há algum tempo atrás, li um maravilhoso livro chamado “Em seus passos, o que faria Jesus”. Dentre outras coisas, fala que os servos de Deus em sua grande maioria não estão dispostos a se esforçarem para serem o que Jesus é ou o que a bíblia nos ensina a sermos e a guardarmos nossa salvação (quando digo SER é agir como).
Enquanto o lia, cheguei a uma grande, importante e terrível conclusão que até hoje, desde de minha conversão, eu não segui a Cristo como a bíblia me ensina e ao ver a complexidade de ser um servo de Cristo, percebi também que até o momento eu não o servi (e nem muito menos ao meu próximo) e que muito provavelmente, minha disposição a fazê-lo eram remotas.
Afinal, o estilo de vida de um servo de Deus é o contrário do que o mundo vive. Os conceitos de Deus são o contrário daquilo que estamos acostumados, ou seja, você tem de perder para ganhar, você não é o dono, logo, você não tem o controle das coisas, Deus tem seus modos que excedem a sabedoria (frágil e pequena) humana.
Para a humanidade isso é terrível. Todos querem o poder de uma forma ou de outra, é o EU contra DEUS (é o singular contra o plural). É a essência do pecado. E para uma pessoa como eu, descobri que até quando eu estou com Deus, quero ter o controle das coisas, planejo como se Deus fosse apenas um expectador, no máximo um avalista, quando deveria ser o contrário, ou melhor, uma associação, uma soma.
Não vou negar, é um choque descobrir isso, seu chão firme cai e você se sente basicamente perdido. Mas ainda assim, não significa um ARREPENDIMENTO.


Mas o que é então o ARREPENDIMENTO? Em poucas palavras, seria algo como Mudar seus pensamentos, seus conceitos, seu estilo, suas idéias e suas atitudes quando comparadas com o que já fez ou tem feito.

A oportunidade de um arrependimento surge quando normalmente há um confronto, isto é, quando conceitos e atitudes são confrontados com a verdade, a realidade de um problema, de um erro que não enxergávamos ou não queríamos enxergar. É como ver uma camisa branca que está suja, depois de lavada, você pensa que está branca novamente. Mas quando comparada com uma camisa branca, você percebe que a lavada não ficou tão branca assim e por isso, você vai e lava melhor, ou seja, você faz melhor. É como você pensar que seu alvejante de roupas deixa sua roupa branquinha e macia, mas você soube de um que pode ser melhor. Aí você o testa e constata que realmente é melhor do que aquele que você usava antes. O que você faz? Passa a comprar esse novo alvejante de roupas, porque o que você usava antes não era tão bom assim. É nesses momentos que há uma oportunidade de arrependimento.
Digo oportunidade, pois apesar de um sentimento estar associado ao ato de Arrepender-se, arrepender-se não é um sentimento, mas uma atitude e independe do sentimento.

Mas aonde você quer chegar com isso? O que tem a ver tudo isso com o fato do evangelista ter ido em sua casa? Simples meu caro “Watson”, o cerne do evangelho é o arrependimento para então receber a salvação, ninguém recebe a salvação genuína sem um genuíno arrependimento.
Se analisarmos as escrituras, principalmente no velho testamento, muitos e muitos são os momentos em que pode ser visto Deus nos exortando para mudarmos nossas atitudes e nos voltarmos a Ele. Arrependei-vos, o Reino de Deus é chegado. Se o meu povo que chama pelo meu nome se arrepender e se humilhar, então eu os ouvirei e os salvarei... Há uma grande variedade de versículos e passagens em que somos alertados para o arrependimento. Em Juízes, muitas são as vezes em que vemos “E seus Reis não se arrependeram de seus atos...” ou “E fizeram como seus antepassados” (ou seja, cometeram os mesmos erros e não se arrependeram).


O próprio Cristo veio para os seus, mas o seus não o receberam, ou seja, eles não se arrependeram.
Mas Jesus Cristo anunciou o apocalipse e João viu o fim e relatou no livro bíblico que leva o nome Apocalipse.
Com o passar dos anos e com as catástrofes e atitudes humanas que vemos e vivenciamos durante a história da humanidade, os símbolos contidos nesse livro bíblico passam a ser compreendidos com facilidade.


Mas ainda que não existisse um livro apocalíptico, o fato é que, para qualquer pensante, tudo o que já vivenciamos e estamos vivenciando, nossa civilização a qual conhecemos já está em colapso.
Desde que o pecado nasceu, com ele nasceu o fim das coisas. Tudo que existe um dia vai deixar de existir. Isso é para mostrar que apenas o Reino de Deus permanecerá.
Civilizações nascem, ascendem e depois caem, impérios e reis surgem, mas entram em colapso e caem. É o ciclo das coisas terrenas, da humanidade. Ele nasce, cresce, depois entra em declínio até desaparecer, morrer.

Já estamos nos fins dos tempos e nossa geração parece estar no fim dos seus tempos. Por todos os lados vemos sinais de falência (não restrito apenas a economia, bens, mas a nível humanidade).
Isso é inevitável, é o ciclo das coisas, mas a questão é, vamos nos arrepender e evoluir ou perecer simplesmente como animais? Vamos nos arrepender e ainda que não sobrevivamos, mas ensinar nossos descendentes a não tomar o mesmo caminho que tomamos?

A verdade é que a nossa sobrevivência depende do nosso arrependimento. E o melhor, nossa Salvação depende do nosso ARREPENDIMENTO. Nossa civilização moderna vive além de seus meios e parece que não queremos enxergar isso. Consumimos as coisas como se elas não fossem acabar!
O conceito de sustentabilidade parece engatinhar enquanto o tempo está acelerado e, ao que parece, o planeta não quer esperar por nosso arrependimento.
Nosso sistema econômico e governamental é fraudulento e corrupto, em meio à crise, somos incentivados a gastarmos mais todos os dias. Os bancos nos ligam oferecendo créditos que excedem em muito nosso salário. As facilidades da tecnologia nos encantam e nos cegam.
Gastamos com aquilo que não é “pão”, só para alimentarmos nosso modo de vida conformados. Nossa civilização construiu um modo de vida que não pode sustentá-lo! Mas continuamos a crescer e a consumir desordenadamente. Nossas fontes naturais são finitas, mas não queremos abrir mão de nossos sonhos e desejos que são infinitos. E continuamos a destruir, a consumir, a gastar e o pior, não conseguimos mais viver, se não, com o modo que vivemos hoje.


Você já imaginou ou experimentou viver uma semana ou 1 dia (que seja) sem energia elétrica?
Não precisamos ir longe num futuro tão distante, mas são coisas que em muitos locais da terra, esse efeito já começa a ser sentido com mais freqüência!
Sem energia, tudo pararia! Eu digo TUDO mesmo. Iríamos voltar à idade da pedra em questão de dias! Sem carros, sem eletrônicos (TVs, rádios, computadores...), sem bancos, sem transportes, sem ventiladores (rs), sem conexão, sem contatos, sem água (hidroelétricas, lembra?), sem alimentos (seus alimentos na geladeira iriam estragar e os supermercados também)!!


Aqui no Brasil, em 2008 (se eu não tiver enganado) uma empresa de telefonia, por um problema em seus aparelhos, interrompeu a conexão de internet por quase um dia inteiro no estado mais rico e populoso do país! Resumindo, foi um grande caos.

Se acontecesse uma tempestade eletromagnética (tempestade solar) forte e ela atingisse a terra, seria o fim do sistema ao qual conhecemos, retornaríamos aos primordios. Você já imaginou ficar sem celular ou qualquer outro meio de contato feito por ondas ou via cabo por uma semana?

O Brasil tem uma das maiores frota de carros do mundo. Um grande mercado que está sendo explorado pelas indústrias de automóveis. Mas já sofremos há tempos por conta da explosão de crescimento tanto populacional quanto da frota de automóveis no país que por sua vez nunca teve um planejamento coerente decente. E pra onde vai parar todos esses carros e maquinas que constroem? É como ter uma piscina de 1.000 litros e você tentar enche-la com mais do que ela suporte, ou seja, vai transbordar.

Você já tentou ficar uma semana sem carro? (É horrível, eu sei, já passei por isso).
Aqui no Brasil, não há investimentos ferroviários, por motivos óbvios e políticos (dinheiro e conveniências, pra não falar outra coisa...), mesmo sendo a forma de transporte de massas e produtos mais economicamente correta e de baixo custo.


Você já imaginou se o sistema bancário falha por uma semana?
Todo o nosso dinheiro está lá. Se falhar e por algum motivo minha conta amanhecer zerada e para alguns, cheia de dinheiro, seria o caos!
Com certeza, nas altas temperaturas que estamos enfrentando, queremos nos refrescar ou que seja apenas ficar em uma sombra.


Você imaginou (o que já existe também) um país em que não há áreas verdes? Com esse calor, mesmo dentro de casa, protegidos não é a mesma coisa que estar debaixo de uma árvore em um bosque, ou horto. Mas você pode ter certeza que nesse exato momento, existe uma empresa de extração de arvores fazendo seus milhares de cortes para atender a grande demanda de móveis e outros objetos que utilizam as árvores de nossas florestas. Um ambiente predominantemente árido por natureza é uma coisa, mas uma ambiente transformado em "selva de pedra" é algo totalmente diferente.
Existe a história de um povo de uma pequena ilha e que vivia da extração de suas árvores. O povo cresceu, mas não amadureceu, ou seja, continuou a destruir suas florestas. Essa civilização entrou em ruínas e o que restou na ilha foi apenas as grandes estátuas de imagens que eles ofereciam aos seus deuses (possivelmente para acalmá-los, mas penso que não deu muito certo).
Não é diferente da nossa civilização. Sem arvores, sem florestas, sem animais, sem rios, sem equilíbrio... resultado: colapso e extinção.


Mas o pior, você já imaginou ficar sem água?
Nosso problema de escassez de água é maior do que a economia de petróleo ou de qualquer outra fonte natural por exemplo. Isso porque o mundo pode sobreviver sem o petróleo, ainda que haja uma mudança drástica até a substituição dele, o mundo viveu sem ele, assim como pode sobreviver sem muitas outras fontes de energia, como a elétrica, por exemplo, mas não podemos ficar sem água e não há um substituto para ela!
A inexistência da água ou na falta dela, somos afetados diretamente nesse efeito dominó. 
Resumidamente, sem água, sem vida. A vida se extingue em questão de dias. A civilização entra em colapso total em questão de horas!


“Ah, isso é puro sensacionalismo!!”... dirá alguns, mas é dessa ilusão de soberania é que devemos nos arrepender.
Estamos cegos e seguros em nós mesmos, mas somos falhos! Confiamos em nossas conexões de internet a ponto de deixar e utilizar tudo conectado, mas uma hora ela vai parar e em definitivo.

O desastre no Japão no ano passado (2011) nos dá um exemplo disso. Mas eles, diferente de outros povos, parecem que aprenderam com seus erros ou simplesmente tomaram outra posição mediante ao desastre. Estão se reerguendo, se uniram em prol do bem maior.
Diferentemente na Europa que por causa da grande crise que está se abatendo lá, com o desemprego, a população se revoltou e o que seria uma oportunidade para união do povo, virou anarquia e destruição. No Brasil (outros países também), o povo se revolta por causa do placar do jogo de futebol e rivalidade entre torcidas!!


Os povos se unem por causas, por vezes, sem fundamento ou para proteger um estilo de vida vã, mas não consegue se unir para tentar tomar medidas que, independente de raça, religião ou crença, vão nos ajudar a mudar. Estamos acabando com as florestas em prol do consumismo que alimenta o capitalismo, acabando com nossos rios e lagos e até os oceanos a ponto de sermos duramente castigados por isso, mas continuamos a consumir e a consumir cada vez mais.
Precisamos acordar, precisamos abrir os olhos e ver o que está acontecendo, ainda que não haja muitos que acreditam que não há um Deus e muito menos um apocalipse. Os efeitos dos nossos atos estão aí e não são bons. Mas nossa sociedade não quer acreditar nisso.


Como eu disse, saber do problema é uma coisa, lamentar é outra coisa, mas ARREPENDER-SE é algo totalmente diferente. Não estamos dispostos a mudar nossos hábitos, nosso modo de vida. É como se o nosso cérebro desligasse para esse tipo de pensamento, e o problema passasse a ser sem importância.
Nosso EGO continua a ser maior diante ao fim eminente, continua a ser maior do que o próprio DEUS.
Eu não preciso ir longe, na ultima eleição presidencial em nosso país ganhou o candidato que, em resumo, iria continuar o que seu antecessor fez, ou seja, o crescimento econômico e social do nosso país.  Ótimo, nosso país cresceu, mas chegamos a conclusão de que todo o crescimento mundial está baseado em consumismo às custas dos nossos recursos naturais e principalmente, seguindo os mesmos erros dos nossos antepassados. O único candidato que mostrou alguma mudança nesse quesito foi o último colocado. Quem quer mudar seu negócio para ser algo mais sustentável do que apenas capitalista? Ou seja, o time está ganhando, então não vamos mexer. O problema é que o time todo está perdendo.

Um povo perece por falta de conhecimento. Mas há informações aos montes, o problema é que nosso foco é outro.
“A geração que negligencia seu passado (seus erros e acertos) é uma geração sem futuro.” Todo mundo sabe do passado do Brasil (e de muitos outros países). Uma palavra que resume bem nossa cultura é Exploração. Mas não é o mal apenas de um país, é o mal do planeta.

E o que dizer àqueles que vivem à margem da sociedade, a população pobre que não tem acesso a informações? Bom, os detentores do conhecimento não anunciam e também não fazem nada, então, como está descrito na bíblia, “àqueles que têm lhe será tirado, aos que não tem até isso lhe será tirado.”

Como eu disse outra vez e é fato, estamos caminhando a passos largos para o fim, mas isso é inevitável. A grande questão é o que vamos fazer daqui pra frente. Talvez eu não veja o pior que está por vir, mas não podemos ficar acomodados simplesmente por saber que quem vai sofrer o pior vai ser a próxima geração. A próxima geração serão meus filhos, seus filhos, filhos de seus filhos, seus descendentes.

Há quem diga que, parece ser muito conveniente então clamarmos a Deus e sermos salvos e o restante que “se lasque” (com o perdão da palavra). A verdade é que mesmo você recebendo a salvação de Cristo, você precisa guardá-la, pois a qualquer momento você pode perdê-la. Então, não há nada de conveniente nisso. Não é um jogo, mas sim cada um fazendo a sua parte, em união, para alcançarmos o ALVO, a saber, Jesus Cristo. Sem o Senhor, em vão caminha o homem. Ter a Salvação não significa que estamos isentos, pois assim como Jesus não veio para abolir a lei, mas sim para cumpri-la, os que são de Deus também. A própria Bíblia nos ensina que aquilo que plantarmos vamos colher, é regra. Ninguém ficará livre de colher aquilo que plantou um dia e receber aquilo que deu. E a humanidade não tem plantado com muita sabedoria.

Basicamente, a mensagem é simples como a do evangelista que bateu em minha porta outro dia, simples como o Evangelho de Cristo é, “ARREPENDEI-VOS, pois o reino de Deus é chegado a vós.”
Isso requer sacrifício e obediência, esforço e determinação, mudança de atitude, abnegação... enfim, é difícil, mas eu prefiro tentar e eu preciso de ajuda de Deus.
Ainda assim, o fim é inevitável, mas o que vale são minhas atitudes, que como diria “Maximus Decimus Meridius” (personagem do filme Gladeador), “O que fazemos aqui, ecoa na eternidade!”.

...
“Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura.” - Isaías 55:2

“O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.” Marcos 1:15

terça-feira, janeiro 31, 2012

UM GRANDE MOTIVO PARA JOGAR LIXO NO LIXO E NÃO NAS URNAS...
Enquanto aguardava pacientemente o início da minha aula de inglês (eu sempre chego cedo para poder encontrar vaga em estacionamento), pensativo e preocupado por n motivos), procurei por uma revista que pudesse me entreter nos 35 minutos que ainda faltavam para o início da aula. Na prateleira, muitas revistas, mas uma em especial me atraiu. Verifiquei a data (não gosto de ler revista antiga), Revista Veja edição de 26 de outubro de 2011 (até que é recente), na capa tinha a imagem da máscara de Guy Fawkes, usada pelo personagem V no filme V de Vingança (um excelente filme na minha opinião), o título em letras garrafais (que me agradam muito). A imagem e a palavra CORRUPÇÃO bastaram para que ela fosse a escolhida para me acompanhar na minha espera.

Ao folheá-la, dentre tantas e tantas propagandas (algumas são de 4 á 6 páginas seguidas!), tirinhas com frases de celebridades e políticos, finalmente encontrei a reportagem.

Antes de ler a reportagem eu não tinha idéia da quantia que já nos foi roubado pela corrupção dos nossos "representantes". Assim como a realidade, os valores são impressionantes!

Abaixo segue partes do texto da reportagem:

"Corruptos mais ricos, Brasil mais pobre...

A corrupção drena anualmente dos cofres públicos a gigantesca quantia de 85 bilhões de reais, o equivalente a 2,3% de toda a riqueza produzida pelo país. Se fosse usado para fazer investimentos públicos, esse dinheiro resolveria alguns dos mais sérios problemas brasileiros como por exemplo: construir 28.000 escolas, custear 34 milhões (!) de diárias de UTIs nos melhores hospitais particulares, construir 33.000 unidades de pronto atendimento 24 horas, erradicar a miséria no Brasil tirando dessa condição 16 milhoes de pessoas (e ainda sobraria 5 bilhões de reais), contruir 241 quilômetros de metrô (mais que o dobro do que existe hoje em São Paulo e no Rio de Janeiro), construir 1,5 milhão de casas populares, suprindo assim 30% do déficit habitacional do Brasil.

Mas o que se vê como uma triste rotina são políticos desonestos embolsando esse dinheiro para o enriquecimento pessoal e o financiamento de campanhas de seus partidos.

Nos últimos dez anos, segundo estimativas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, foram desviados dos cofres brasileiros (pasmem!) 720 bilhões de reais. No mesmo período, a Controladoria Geral da União fez auditorias em 15 000 contratos da União com estados, municípios e ONGs, tendo encontrado irregularidades em 80% deles. Nesses contratos, a CGU flagrou desvios de 7 bilhões de reais, ou seja, a cada 100 reais roubados apenas 1 real é descoberto. Desses 7 bilhões de reais, o governo conseguiu recuperar pouco mais de 500 milhões de reais. O que equivale a 7 centavos revistos para cada 100 reais roubados.

A corrupção é uma praga que contamina todas as instâncias. Há desde pequenos delitos, como a propina de 50 reais exigida por um guarda para liberar um motorista bêbado do teste do bafômetro, até desvios que envolvem estruturas completas, como foi verificado recentemente no Ministério dos Transportes.

Há no Brasil 120 milhões de pessoas vivendo exclusivamente de vencimentos recebidos da União, estados ou municípios. A legislação tributária mais injusta e confusa do mundo é o fertilizante que faz brotar uma rede de corruptos em órgãos como a Receita Federal e o INSS.

A impunidade reina nos crimes contra a administração pública. Uma análise de processos por corrupção feita pela CGU mostrou que a probabilidade de um funcionário corrupto ser condenado é de menos de 5%. A possibilidade de cumprir pena de prisão é quase zero. A máquina burocrática cresce mais do que o PIB!

Mas os brasileiros começam a acordar para essa realidade e a reagir a ela. O episódio mais emblemático foi a coleta de 1,6 milhões de assinaturas que deu origem à Lei da Ficha Limpa. Agora, as pessoas começam a marchar contra a corrupção...

Talvez seja utópico esperar que a corrupção acabe, mas, como todas as pragas, ela pode ser mantida em um nível mínimo. Lutar contra ela vale a pena".

FONTE: Revista Veja - Ed. 26/10/2011 - 2240.

Eu me recuso a passar por minha geração e não ser nada e a não fazer nada. Podemos fazer muita coisa, fazer a nossa parte, protestar, reivindicar, pesquisar, informar, ajudar, cuidar, mobilizar e acima de tudo ORAR (se Deus não for à frente, em vão será nosso esforço).

Por tanto, uma das coisas que podemos fazer é VOTAR COM CONSCIÊNCIA, ou seja, lugar de LIXO É NO LIXO E NÃO NA URNA!

Um “bonus” a ser pensar:

"Em 2011, os jogos Pan Americanos de Guadalajara no México, a competição no país (México) foi financiada pelo dinheiro privado. O governo mexicano arcou com apenas 521 milhões. Um dos principais palcos da competição, o estádio Omnilife, foi erguido com recursos do empresário Jorge Gergara, dono do time Chivas Guadalajara.

Já no Brasil, o rancking de gastos infundados de dinheiro público, subiu com folga no degrau mais alto do pódio. No Brasil, em 2007, o custo da competição ficou em 4 bilhões de reais, dez vezes a previsão inicial e doze vezes a média das quatro edições anteriores. "O que aconteceu aqui foi uma mistura de falta de planejamento, incompetência administrativa e uma enormidade de gastos superfaturados", diz o procurador Marinus Marsico, do Tribunal de Contas da União."

FONTE: Revista Veja - Ed. 26/10/2011 - 2240.

Em 2014 o Brasil sediará a Copa do Mundo. Se os Jogos Pan Americanos que o Brasil sediou teve um custo que ultrapassou dez vezes a previsão inicial, o que pensar sobre a Copa do Mundo de 2014?


"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." - Rm 12:2